Resenha: O Lado Bom da Vida (Matthew Quick)

O Lado Bom da Vida

Título Original: Silver Linings Playbook
Autor: Matthew Quick
Ano: 2013
Editora: Intríseca
Páginas: 256
Avaliação: 9
Pat Peoples, um ex-professor na casa dos 30 anos, acaba de sair de uma instituição psiquiátrica. Convencido de que passou apenas alguns meses naquele 'lugar ruim', Pat não se lembra do que o fez ir para lá. O que sabe é que Nikki, sua esposa, quis que ficassem um 'tempo separados'. Tentando recompor o quebra-cabeça de sua memória, agora repleta de lapsos, ele ainda precisa enfrentar uma realidade que não parece muito promissora. Com o pai se recusando a falar com ele, a esposa negando-se a aceitar revê-lo e os amigos evitando comentar o que aconteceu antes de sua internação, Pat, agora viciado em exercícios físicos, está determinado a reorganizar as coisas e reconquistar sua mulher, porque acredita em finais felizes e no lado bom da vida.
Resenha:
Já assisti ao filme e antes de ler o livro pensei que seria igual ao filme (ou o filme igual ao livro kk), mas o filme não é tão fiel à história do livro, algumas coisas que estão no livro não estão no filme e vice-versa, então ao ler o livro percebi que estava completamente errado sobre ele, apesar de, na minha opinião, os livros são mil vezes melhores que os filmes.

O livro conta a história de Pat Peoples, que acaba de sair do "lugar ruim", que é como ele chama a instituição psiquiátrica em que esteve internado por alguns anos. Apesar de saber que passou "algum tempo" lá, Pat não se lembra o que fez para que fosse internado, muito menos quanto tempo ficou por lá e o motivo que o fez ficar um "tempo separado" de sua mulher (ou ex-mulher) Nikki. Ele apenas lembra que odeia a música de Kenny G, e isso tem algo a ver com Nikki e seu tempo internado no tal lugar ruim.


Pat está convencido a reconquistar Nikki, e por isso muda algumas de suas atitudes; passa a treinar seu corpo e correr todos os dias, praticar ser gentil ao invés de ter razão (uma das frases que é repetida quase que em todos os capítulos), ler alguns livros e tentar melhorar cada vez mais seu caráter. Passado algum tempo, Pat conhece Tiffany, uma mulher que apesar de todas as diferenças, também tem um temperamento "louco" e já para o final do livro, oferece à ele a oportunidade de conversar com Nikki através de cartas, sendo Tiffany a intermediária entre os dois.



O que eu mais adorei neste livro foram os personagens e o modo como Matthew foi organizando os fatos em cada capítulo, de modo chamativo, sendo quase impossível ler somente um capítulo por dia (em um dia acabei lendo 7 kk). Pat é admirável, o modo como ele tenta tornar-se uma pessoa melhor mesmo com todas as coisas não sendo tão favoráveis para ele e o seu jeito adolescente de 34 anos foram o que mais me chamou atenção no livro. Ele acredita que sua vida é um filme e que ao final de tudo, terá Nikki de volta e tudo ficará melhor, essa esperança faz do personagem muito especial.



Resumidamente, é um ótimo livro, apesar de sua trama não ser algo tão surpreendente. É um livro simples e é essa simplicidade que o torna tão gostoso de se ler. Não há como ser uma pessoa pessimista lendo o livro, Pat nos ensina que sempre devemos tentar, dar o nosso melhor, buscar sempre a felicidade.


Se as nuvens estão bloqueando o sol , sempre tento ver aquela luz por trás delas, o lado bom das coisas e me lembro de continuar tentando...

4 comentários

Clique aqui para comentários
23 de agosto de 2014 17:10 ×

O lado bom da vida é um livro que me chama muita atenção, mas infelizmente ainda não tive a oportunidade de lê-lo.
Gostei da resenha, abraço! www.likelivros.blogspot.com.br

Responder
avatar
admin
24 de agosto de 2014 11:01 ×

Às vezes faz bem pegar um livro com uma linguagem simples, uma história descomplicada e sem aquela trama toda complexa. Geralmente os filmes nunca são fieis ao livro, é uma coisa rara encontrar, por isso nem me espanto mais ler algum argumento desse hahaha.
Adorei a resenha, Isac. As fotos ficaram ótimas e, de verdade, eu não tinha vontade alguma de ler esse livro; mas fiquei atraída pela leitura, não porque o livro pareça ótimo, mas porque você colocou os pontos que eu precisava para ler o livro. Exatamente... Eu pensei que se tratava de algo mais fraco, sem emoção e conteúdo... Embora até algumas coisas sejam consideradas, como a narrativa sem muita emoção, sem uma história complexa e afins, fiquei com vontade de ler pela simplicidade disso. Acho que falei demais :X

M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista. São 6 livros para escolher e 2 ganhadores.

Responder
avatar
admin
24 de agosto de 2014 12:22 ×

Poxa kk, muito obrigado. Fico feliz que minha resenha tenha conseguido atrair alguém para ler o livro. kk pode falar :D, quando você terminar conte para nós o que achou

Responder
avatar
admin
31 de agosto de 2014 17:00 ×

Eu adoro esse livro, adoro a narrativa e adoro os personagens. Foi um dos melhores do ano passado e da vida!
Adorei a resenha ;)
Beijos!
http://umaleitoravoraz.blogspot.com.br/

Responder
avatar
admin

Olá, seja muito bem vindo ao Datilografando!

- Comentem algo relativo ao post, prometo que assim que tiver tempo irei retribuir a todos. Fora de tópico Mostrar Código Esconder Código Mostrar EmoticonEsconder Emoticon

Obrigado pelo seu comentário