Resenha: O Menino do Pijama Listrado (John Boyne)


O Menino do Pijama Listrado

Título Original: The Boy in the Striped Pyjamas
Autor: John Boyne
Ano: 2007
Editora: Cia. das Letras
Páginas: 192
Avaliação: 8

Bruno tem nove anos e não sabe nada sobre o Holocausto e a Solução Final contra os judeus. Também não faz ideia que seu país está em guerra com boa parte da Europa, e muito menos que sua família está envolvida no conflito. Na verdade, Bruno sabe apenas que foi obrigado a abandonar a espaçosa casa em que vivia em Berlim e a mudar-se para uma região desolada, onde ele não tem ninguém para brincar nem nada para fazer. Da janela do quarto, Bruno pode ver uma cerca, e para além dela centenas de pessoas de pijama, que sempre o deixam com frio na barriga. Em uma de suas andanças Bruno conhece Shmuel, um garoto do outro lado da cerca que curiosamente nasceu no mesmo dia que ele. Conforme a amizade dos dois se intensifica, Bruno vai aos poucos tentando elucidar o mistério que ronda as atividades de seu pai. O menino do pijama listrado é uma fábula sobre amizade em tempos de guerra, e sobre o que acontece quando a inocência é colocada diante de um monstro terrível e inimaginável.

Resenha:
ATENÇÃO: Esta resenha contém spoilers sobre o livro.



Já tinha uma vontade enorme de ler este livro, mas só comprei ele há algum tempinho (versão econômica). Obs: ainda não tinha assistido o filme.

O livro conta a história de Bruno, um garoto de 9 anos que desconhece o atual momento de seu país. Quando chega em casa, descobre que a família está de mudança de Berlim, rumo a um lugar chamado Haja-Vista, onde não há lugar nem crianças com quem ele possa brincar.

Já morando em Haja-Vista, Bruno percebe que da janela de seu quarto é possível ver, ao longe, um campo repleto de adultos e crianças que usam pijamas listrados. Algum tempo depois, Bruno começa suas explorações pelos arredores da casa, e, porventura, acaba conhecendo Shmuel, um menino de pijama listrado que aparentava muita tristeza. A partir deste dia nasce a amizade entre um garoto judeu e um nazista em plena Grande Guerra.



Com uma linguagem simples e de fácil compreensão e uma narração esplêndida, John Boyne conseguiu repassar e enfatizar a inocência das crianças, mesmo diante de algo tão terrível e desumano como foi a Segunda Guerra Mundial. O poder da forte amizade entre Bruno e Shmuel conseguiu superar a cerca que os separavam e a diferença étnica.

Na minha opinião, é um ótimo livro, que só deixou a desejar no final, já que o autor deixa vago o que poderia ter acontecido com os garotos (para quem viu o filme já deve saber), fora isso, o livro é tudo de bom em todos os capítulos.

2 comentários

Clique aqui para comentários
25 de janeiro de 2015 19:51 ×

Este livro é maravilhoso! É impossível não se emocionar com o final super tenso!

Abraços,
Rafa-Eu + Livros
www.eumaislivros.com.br

Responder
avatar
admin
17 de abril de 2015 16:46 ×

Oi Isac,
Tenho muita vontade de ler esse livro *--*
Assisti o filme já, (na época foi até na escola) chorei muito. Adoro esses tipos de livros que está relacionada a Segunda Guerra Mundial, são muitos bons!!
Enfim, adorei a resenha! Parabéns
Beijinhos,
Livros Para o Chá das Cinco

P.S: Se você também gosta de livros que são envolvidos na Grande Guerra, leia o Diário de Anne Frank, tem resenha la no blog. Da uma passadinha e confere :)

Responder
avatar
admin

Olá, seja muito bem vindo ao Datilografando!

- Comentem algo relativo ao post, prometo que assim que tiver tempo irei retribuir a todos. Fora de tópico Mostrar Código Esconder Código Mostrar EmoticonEsconder Emoticon

Obrigado pelo seu comentário